FrenchSpanishEnglishPortuguese

Vila Nova da Barquinha – Tomar

Vila Nova da Barquinha

Região banhada pelo rio Tejo é uma bonita vila, sede de concelho.

Pontos de interesse:

  • Castelo de Almourol
  • Parque de Escultura Contemporânea Almourol
  • Centro de Interpretação Templário de Almourol
  • Igreja Matriz de Atalaia

Tomar

Cidade de Tomar (Fotografia de Marta Casimiro)

Fundada em 1157 por Gualdim Pais, o primeiro grão-mestre da Ordem dos Templários em Portugal, a cidade é dominada pelo castelo do século XII que contém o Convento de Cristo.

Castelo de Tomar
Igreja de são João Baptista

O centro da cidade é formado por ruas estreitas. A mais comercial, a Rua Serpa Pinto, conduz à igreja gótica de São João Baptista, na praça da República. A igreja, de finais do século XV, tem um elegante portal manuelino rematado por um coruchéu octogonal. 

A área em volta da Igreja é o centro da espectacular Festa dos Tabuleiros, de origem pagã e realizada em Julho, de dois em dois anos ou de três em três, em que raparigas de branco transportam à cabeça tabuleiros com pães e flores. 

Na margem leste do rio Nabão, junto da Rua Aquiles da Mota Lima, está a igreja de Santa Maria do Olival, do século XIII, com uma torre característica. Restaurada várias vezes, preserva a fachada gótica e uma rosácea. No interior encontram-se os túmulos de Gualdim Pais (morto em 1195) e de outros mestres templários, e um elegante púlpito renascentista.

Interior da igreja de Santa Maria do Olival (Fotografia de Marta Casimiro)
Igreja de Santa Maria do Olival (Fotografia de Marta Casimiro)
Fotografia do túmulo de Gualdim Pais, no interior da igreja de Santa Maria do Olival (Fotografia de Marta Casimiro)

A norte, a Rua de Santa Iria leva-nos à Capela de Santa Iria, ao lado da Ponte Velha do século XV. Diz-se que a capela renascentista foi construída no local do martírio da santa, no século VII. 

Numa ilha do rio, o Parque do Mouchão é um lugar agradável. Uma roda d’água alegadamente romana gira com a passagem da água.

Basílica de Nossa senhora da Conceição (Fotografia de Marta Casimiro)

Nas vertentes da colina do Convento de Cristo encontra-se a Basílica de Nossa senhora da Conceição, renascentista, construída entre 1530 e 1550. O exterior simples contrasta com as elegantes colunas do interior. Pensa-se que o arquitecto foi Francisco Holanda (1517-84), que trabalhou para D. João III.

O Convento de Cristo foi fundado em 1162 pelo Grão-Mestre dos Templários e ainda conserva recordações desses monges-cavaleiros e dos herdeiros do seu cargo, a Odem de Cristo. Sob Henrique o Navegador, Mestre da Ordem desde 1418, foram construídos claustros entre a Charola e a fortaleza dos Templários, mas as maiores modificações verificaram-se no reinado de D. João III (1521-57). Arquitectos como João de Castilho e Diogo de Arruda procuram exprimir o poder da Ordem construindo a igreja e os claustros com ricos floreados manuelinos que atingiram o máximo esplendor na janela da fachada ocidental.

Os motivos marítimos entrelaçam-se em volta da janela. Pensa-se que a escultura na base representa o arquitecto Diogo Arruda.

É o mais conhecido exemplo de arquitectura manuelina, ilustrativo do naturalismo exótico e do uso de pormenores marítimos.

Janela Manuelina, Convento de Cristo em Tomar

Algumas fotografias do interior do Convento de Cristo: