FrenchSpanishEnglishPortuguese

Benavente – Salvaterra de Magos – Coruche

Benavente

“Em 1199, a fixação de colonos estrangeiros na margem sul do Tejo, conduziu ao surgimento da povoação de Benavente. Situada nos limites do Castelo de Coruche, subordinado à Ordem de Calatrava, foi constituída sob a égide e senhorio desta Ordem Militar. Neste facto, se tem também associado o nome da povoação, sabido que à mesma Ordem pertencia também o Castelo de Benavente, no Reino de Leão. Benavente, situada entre Santarém e Lisboa, é delimitada pelo rio Sorraia, um dos principais afluentes do Tejo e foi o segundo concelho instituído ao sul deste rio.

 

Tem foral antigo, dado por D. Paio, ou Pelágio, mestre da Ordem Militar de Évora, em 25 de Março de 1200 e confirmado por D. Sancho I. D. Manuel concede-lhe foral novo em 16 de Janeiro de 1516. Além disso recebeu privilégios de vários monarcas, especialmente de D. Dinis e D. Fernando.

 

Benavente, permite definir um centro histórico consolidado, uma vez que toda a área se encontra bem delimitada pelo rio Sorraia, a nascente e pela designada lezíria dos cavalos, na face poente. O seu centro histórico assume uma forma triangular, localizando-se num dos vértice o Cruzeiro do Calvário e no centro, o local onde se erguia a antiga Igreja Matriz, destruída pelo terramoto de 1909.”

In

https://www.cm-benavente.pt/conhecer-benavente/historia/benavente (link externo)

Salvaterra de Magos

Este foi o local de estadia preferido dos reis da dinastia de Bragança.

Fundada por D. Dinis em 1295, que pretendia fazer do local um centro propício à caça. Mas foi com D. Luís, filho de D. Manuel, que se mandou erguer o Palácio de Salvaterra, que possuía jardins lindíssimos, um teatro de ópera onde se deslocaram nomes de prestígio desses tempos, vindos da Europa nomeadamente, e outros entretenimento que levavam a que a família real ali fosse inúmeras vezes, e não só para a riquíssima Coutada Real.

Rio Tejo - Zona de Salvaterra de Magos (Fotografia de Jorge Rodrigues)
Aldeia do Escaroupim (Fotografia de Jorge Rodrigues)

Pontos de interesse:

  • Falcoaria Real (link externo)  – conheça mais sobre a  história do nosso país
  • Capela do antigo Paço Real (Templo renascentista do século XVI e XVII)
  • Igreja da Misericórdia (em Salvaterra de Magos do século XVII)
  • Igreja Matriz de S. Paulo (em Salvaterra de Magos)
  • Aldeia Avieira do Escaroupim (Aldeia típica piscatória)
  • Barragem de Magos (Situada nos Foros de Salvaterra é um importante espaço de lazer da região)
  • Concheiros de Muge (Estação arqueológica com esqueletos do período mesolítico)
  • Palácio da Casa Cadaval (em Muge)

Coruche

É uma atraente vila no centro da lezíria. Habitada desde os tempos paleolíticos, foi arrasada em 1180 pelos Mouros, como vingança contra as reconquistas cristãs.

Na rua central, Rua de Santarém, o café O Coruja é forrado com modernos painéis de azulejos que mostram os touros na Lezíria, a praça de touros e cenas da vida local.

Praça de Touros de Coruche (Fotografia de Jorge Rodrigues)

Acima da vila ergue-se a Igreja de Nossa Senhora do Castelo, do século XII, muito simples. Tendo uma excelente vista sobre os campos agrícolas do vale do Sorraia.

Igreja de Nossa Senhora do Castelo (Fotografia de Jorge Rodrigues)